Logo Folha de Candelária
Polícia 10/08/2017 11:29
Por: Jorge Mallmann

Acidente em Venâncio Aires causa a morte de professor candelariense

Dione Lazzari, de 41 anos, foi socorrido e morreu no Hospital São Sebastião Mártir. Segundo as informações preliminares, outro ocupante, Fernando Motta Pereira, teria sofrido fraturas nas duas pernas

  • condutor perdeu o controle do veículo e colidiu contra um bueiro (Foto: Divulgação • Folha)
  • Em foto publicada na rede social Facebook, Fernando, Dione e Jorge registram chegada na Arena do Grêmio - Crédito: Divulgação
  • Acidente aconteceu no quilômetro 68 da RSC-287 (Foto: Divulgação • Folha)
  • Escola Lepage amanheceu num clima de consternação. Aulas foram canceladas nesta quinta
  • Luto: uma faixa preta foi colocada na porta de entrada da escola
  • Dione Lazzari: morte trágica aos 41 anos no retorno de um jogo do Grêmio (Foto: Divulgação/Facebook)

A comunidade candelariense começou a quinta, 10, sob o impacto de um acontecimento trágico. Na noite de quarta, 9, o professor Dione Adrian Lazzari, de 41 anos, morreu vítima de um acidente no km 68, da RSC 287, em Venâncio Aires. Ele era caroneiro do Gol, placas IUS 1741 de Candelária, ocupado também pelos candelarienses Jorge Edenir Pereira, 61 anos, e Fernando Motta Pereira, 28. Informações da manhã de quinta, indicavam que Jorge e o filho Fernando permaneciam internados em observação no Hospital São Sebastião Mártir, em Venâncio Aires. Fernando teria fraturado as duas pernas, conforme informações extraoficiais. Os três retornavam de Porto Alegre, onde foram acompanhar a partida do Grêmio pela Taça Libertadores da América, contra a equipe do Godoy Cruz. O acidente teria ocorrido por volta das 23h15. Segundo as informações preliminares, o Gol teria se desgovernado, saído da pista e batido contra um bueiro, quase em frente à Escola Adelina Isabela Konzen e cerca de um km distante da Penitenciária Estadual de Venâncio Aires. Dione era professor no Lepage, que cancelou as aulas nesta quinta. O velório será realizado na capela da escola. Logo pela manhã se percebia um clima de total consternação em frente ao educandário. Uma faixa preta foi colocada na entrada da unidade escolar, como identificação do luto. Maiores informações a qualquer momento e na edição impressa da Folha, que circula nesta sexta, 11.