Logo Folha de Candelária
Colunista 26/01/2018 19:24
Por: Ângelo Savi
Ângelo Savi

Ângelo Savi

Ângelo Savi é advogado, formado pela UNISC, com pós-graduação em Direito Processual pela mesma instituição. Tem interesse em vários ramos do conhecimento, especialmente História, Política, Filosofia, Literatura, probabilidade, estatística e, mais recentemente, em Economia. Em seus artigos, chama atenção a facilidade com que passa de uma área a outra do conhecimento, aprofundando o tema abordado.

Carta aberta ao ex-presidente Lula

Prezado Senhor Ex-Presidente Lula da Silva:

Inicialmente, quero lhe dizer que, embora eu tenha achado justa a confirmação da sentença que o condenou, em nada me alegro com ela. Muito pelo contrário, me sinto profundamente envergonhado e frustrado por ser cidadão de um país em que o presidente mais aclamado da história e que gozou do maior índice de popularidade é declarado corrupto, e o que é pior, por crimes cometidos justamente durante e em razão do cargo que ocupou.

Corrupção significa deterioração, decomposição, e é este o sentimento que a maioria das pessoas tem a respeito do governo, não só do seu, mas de todos que conseguimos nos lembrar: a putrefação vai sempre adiante, é processo que não se remite. Daí o desencanto e a desesperança. Daí também ser mais do que chegada a hora de se dar um basta a esta permanente crise, ao conflito que nunca termina, ao desacordo que envenena a todos. Então chega. O Senhor tem que parar se realmente quer o bem do Brasil.

“Considere que você pode estar errado”, palavras ditas por Oliver Cromwell, um grande líder inglês do Século XVII, a um adversário, tentando evitar um combate que se avizinhava. Se o Senhor realmente ama o Brasil como repete reiteradamente; realmente quer o bem dos pobres e desapossados; realmente quer o progresso do país e deseja o fim da pobreza e da desigualdade, considere que pode estar errado quando reage dizendo que não respeitará a decisão da justiça, que de nada sabia e que não há provas de sua culpabilidade. Os seus partidários dizem o mesmo e prometem morte, revolução e, como é de hábito quando são contrariados, praticaram algumas arruaças durante o julgamento de seu recurso, o que confirma a sua habilidade em semear discórdia.

“Considere que você pode estar errado”, pois o passado não volta e nada será como antes, ainda que o Senhor venha a ser eleito, o que, convenhamos, é mais do que improvável. A sua resistência nos trará mais desgraças do que as que já temos, e é claro que o mal não se transformará em bem, só aumentará.

Um país, assim como cada pessoa, sempre terá problemas, pois esta é a sina da nossa existência em que além de termos de enfrentar os reveses presentes, temos de esperar por um futuro cheio de acontecimentos imprevisíveis. Se, além disto, a ação intransigente de um político como o Senhor causar uma desordem permanente na sociedade, a vida tende a ficar cada vez mais insuportável.

É inegável que o Senhor ainda desfruta de prestígio perante parcela considerável da população, mas a sua ação, além de fazer mal a todos, o faz em particular àqueles, pois os infantiliza, não permitindo o seu amadurecimento como seres humanos, os estimula a um permanente ânimo de vingança, a idolatrá-lo irracionalmente e a ter uma fé absurda em poderes que ninguém, muito menos o Senhor, tem.

Chega. Vá cumprir sua pena resignadamente que é o melhor que o Senhor pode fazer para o Brasil. Tenha um gesto de grandeza pelo menos no fim da sua vida e de sua carreira e nos deixe viver a nossa vida em paz.

Atenciosamente,

Um cidadão