Logo Folha de Candelária
Colunista 04/09/2020 22:57
Por: Ângelo Savi
Ângelo Savi

Ângelo Savi

Ângelo Savi é advogado, formado pela UNISC, com pós-graduação em Direito Processual pela mesma instituição. Tem interesse em vários ramos do conhecimento, especialmente História, Política, Filosofia, Literatura, probabilidade, estatística e, mais recentemente, em Economia. Em seus artigos, chama atenção a facilidade com que passa de uma área a outra do conhecimento, aprofundando o tema abordado.

O novo normal

Todo dia pela manhã dou uma olhada nas notícias divulgadas na internet com o propósito de me divertir. Prefiro a imprensa mainstream, que há algum tempo era chamada de os jornalões. Quem escrevia nos jornalões eram os jornalistas, no mainstream, especialistas. Funciona da seguinte maneira: o sujeito faz uma busca na internet e se transforma em especialista. Se tiver capacidade de buscar no Google Acadêmico, sobe de classe e vira pós-doutor. Naturalmente, em tempo de covid, surgiu uma manada de peritos que sabem tudo sobre pandemia, virologia, probabilística, saúde pública, métodos de combate a epidemias e muitos outros.

Um subgênero do especialista em covid é o especialista em novo normal. O novo normal é o conhecimento de como viveremos depois do corona e ele nos ensina que a vida será completamente diferente do que é agora. A ciência do novo normal se subdivide em incontáveis ramos: novo normal em negócios, novo normal em relações interpessoais, novo normal na forma de trabalho, novo normal no arranjo das cidades, novo normal em tudo.

Normal é o que é costumeiro, de modo que se é novo não pode ser normal. É claro que é mais uma mentira, porque definições que servem para tudo não dizem nada. Mas para cada vigarista do novo normal há uma multidão de otários que lhes dão atenção.

Vou me transformar em novonormalista e vou dizer como será o novo normal: teremos que continuar trabalhando para ganhar a vida; vamos levar algumas pancadas, mas de vez em quando teremos algumas vitórias; vamos ter que continuar preocupados com a criação dos filhos, com o emprego ou como desemprego, com o aluguel, com os impostos, em como pagar as contas e com o que vamos almoçar; no verão fará um calor desgraçado e no inverno, como agora, quando não estiver chovendo fará um frio do cão.

Ainda não chega? Só mais uma: continuarão aparecendo especialistas em besteiras do tipo novo normal.